Lembrete: Sem necessidade de paralelos

Todo mundo pensa muitas coisas o tempo todo e podem ser os pensamentos mais variáveis. Digo isso, pois, no meio dos meus pensamentos de hoje, tomei consciência dessa ideia que me rondava. Isso de se ter que, obrigatoriamente, relacionar o que escrevo aqui com minha vida offline.

Como se fosse um paralelo. Eu preciso “necessariamente” viver algo ou então alguém bem próximo de mim precisa “necessariamente” passar por algum acontecimento que possa vir a me inspirar e, com isso, eu desenvolvo um texto aqui.

O que estou querendo contar é que não necessariamente o processo precisa ser assim. A gente pode ter uma ideia num minuto e no outro ela vira assunto de post. A gente pode ver uma foto/montagem/gif e, assim, isso virar ideia de post.

Thamís, florzinha, liberte-se das obrigações…. Aqui é p/ ser livre e se deixar entrar na fluidez. Aqui é seu espacinho, o seu cantinho. Aqui você pode criar em paz e com o carinho que você gosta de colocar no que faz. Aqui você pode escrever e abrir o seu coração de boas. Aqui você pode quase tudo!

Só lembra que um monte de gente pode vir e ler. Não deixa isso te travar, mas também tome cuidado. Equilíbrio é sempre bom. 🙂

PS: Esse post era p/ ter sido publicado dia 30 de agosto, no entanto, só consegui finalizá-lo hoje. Por isso mudei a data. 😉

Lembrete: Seja livre para ser imperfeita

Consegui emergir da rotina, que alegria! \o/

Apesar do cotidiano um pouco atarefado, aprendi e pensei sobre muitas coisas nesse meio tempo entre o último post e esse de hoje e queria registrar aqui para futuras relembranças: Posso fazer cada texto com carinho, posso ser atenciosa e tal, mas não precisa ser perfeito!

5a5525d99eae66b046e67f2653748dab

Foto: Pinterest.

A perfeição às vezes me faz travar na hora de criar e pôr em prática o que matutei na minha cabeça. Então, Thamís, pode parar com esse jeito ruim, viu? 😉

Eu sei que é bacana ter balanceados os defeitos e as qualidades p/ se ter equilíbrio da alma e tals, mas acho que esse ponto em que chegou a “busca pela perfeição” não é nada balanceado e está freando a criatividade, a leveza, a brincadeira e a alegria de poder se expressar por meio de textos. E no fim das contas é isso que eu quero, além de produzir um conteúdo bacana, é isso que eu amo: a leveza e a alegria de poder me expressar.

Claro que é uma expressão diferente de um diário em que só eu teria contato com as letras, pensamentos, sentimentos e aquele papel, mas ainda assim é uma boa expressão. E sendo boa e nova, tira a mente do lugar-comum e é isso que eu estou precisando também. 🙂